domingo, 30 de novembro de 2014


A ousadia gritante de uma ironia que ecoa em mundos silenciosos, envoltos em sofismas e egos, que se avultam e se escondem em minudências ensurdecedoras.



quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Ela olha para as minudências de tudo na expectativa de tropeçar em algo inarredavelmente brilhante ou disparatado: talvez seja uma apaixonada pelo poder de infinito que subjaz o caos. Ama a liberdade e as sensações de infinitude que a natureza proporciona numa simples brisa, que se amplia e vira rajada de vento com a profundidade de um qualquer sentido. Talvez seja predestinada à intensidade das pequenas coisas ou à possibilidade, quase impossibilitada, de reconciliar paradoxos. Tem uma paixão arrebatadora pelo mistério e pelo impossível. Sabe sem perceber e revolta-se sem querer. Ainda assim, sorri. E basta-lhe o sorriso, tão doce quanto irónico, para que deambule enquanto sonha acordada. E nenhuma intensidade combina com a fragilidade de um qualquer universo paralelo cor-de-rosa.